Sete Coisas Que Grandes Empreendedores Não FazemNos dias de hoje, todo mundo que tem um MacBook e um blog pensa que é um “empreendedor.” Bem, aqui vai um carinho meio rude para a geração empreendedora: chamar a si mesmo de Presidente não o transforma em um presidente, e um pequeno exército de seguidores no Twitter também não irá transformá-lo em um líder.

Como um sábio disse certa vez, “Há empreendedores e há Empreendedores.”

Não se deseja aqui detonar as suas esperanças e os seus sonhos, mas a verdade é que a vasta maioria simplesmente não está preparada para serem empreendedores ou líderes. As pessoas não gostam de ouvir isso, mas é a pura verdade. E quanto mais cedo você compreender que não será a segunda encarnação de Mark Zuckerberg, tanto melhor.

Não me leve a mal. É ótimo tentar alcançar as estrelas. Como dizia Robert Browning, “A busca de um homem deve exceder o seu alcance.” Mas aqueles que cresceram na indústria high-tech, e trabalharam com centenas de verdadeiros Presidentes e Empreendedores por décadas, lhe dirão prontamente que esses títulos têm sido tão abusados que tornaram-se quase sem sentido.

Na visão do consultor de gestão Steve Tobak, ainda que não haja um modelo tamanho-único para o verdadeiro empreendedor, existem de fato algumas coisas que eles parecem ter em comum. Isso poderá surpreendê-lo, mas o que coloca-os em um grupo à parte não é uma lista de lavanderia contendo atributos especiais. São as suas ações. O que torna-os únicos é aquilo que eles fazem e, talvez mais importante ainda, aquilo que eles NÃO fazem.

Leia mais:   Você conhece o seu perfil empreendedor?

1. Eles não pensam em uma rotina equilibrada de trabalho.

Eles são, em sua maioria, viciados em trabalho. Isso significa que o seu trabalho vem na frente de tudo. É para isso que eles vivem. Eles não são uma gente despreocupada e amante da diversão, que vive para o fim de semana. Eles vivem para fazer aquilo que amam, e isso se chama trabalho.

2. Eles não tentam ser aquilo que não são.

Provavelmente, o mito mais danoso do mundo dos negócios que surgiu nas últimas décadas é o da “marca pessoal.” Você não é um produto, e você não é capaz de mudar quem você é. Além disso, verdadeiros empreendedores não pensam em si próprios. Eles pensam em suas idéias, e em como transformá-las em grandes produtos e serviços. E eles conseguem.

3. Eles não fazem isso pelo dinheiro.

Eles não ficam choramingando por darem duro para ganhar uma mixaria. Eles simplesmente trabalham. E como eles são apaixonados pelo que fazem, e são focados como um raio laser, o dinheiro eventualmente acaba chegando, e chegando para valer.

4. Eles não têm um “trabalho regular.”

Grandes empreendedores não se limitam a simplesmente molhar o pézinho na água. Eles pulam de cabeça sem pensar nas pedras submersas. Eles não fazem um pouquinho disso e um pouquinho daquilo. Quando eles topam com algo que pensam ser realmente quente e excitante, eles entram de corpo e alma.

Leia mais:   Construindo uma equipe competente - Ciência ou Arte?

5. Eles não cedem ao medo.

Eles não prestam atenção naquelas vozes em suas cabeças – você sabe, aquelas que ficam agourando que tudo vai sair errado. Eles não são destituídos de medo, veja bem. Ninguém é. Eles simplesmente não permitem que os seus temores impeçam-nos de correr riscos. Eles de fato escutam algumas vozes, entretanto: a voz da razão e de seus instintos.

6. Eles não têm visões grandiosas.

Ainda que alguns tenham ilusões megalomaníacas de que estão destinados à grandeza – uma profecia que, com frequência, força a sua realização – na maioria das vezes, eles não têm uma visão grandiosa de suas próprias empresas. Zuckerberg, por exemplo, sequer estava tentando fundar uma empresa. Ao criar o Facebook, ele simplesmente desejava comparar a aparência de seus colegas de escola. Hoje, aos 29 anos de idade, ele acumulou uma fortuna pessoal de 25 bilhões de dólares (Zuckerberg recebe hoje um salário simbólico de 1 dólar/ano como presidente do Facebook).

7. Eles não possuem mentores virtuais.

A maioria das pessoas segue todo tipo de escritores, blogueiros e tweeters nos dias de hoje. Isso é ótimo, mas para ser alguém na vida, para realizar grandes coisas, você precisa de mentores reais, no mundo real. O ex-presidente da Intel, Andy Groove, foi o mentor de Steve Jobs. Este, por sua vez, orientou os fundadores do Google, Larry Page e Sergey Brin. Por trás de todo grande empreendedor há pelo menos um grande mentor. Um mentor de verdade.

Leia mais:   Técnico x Gerente x Empreendedor: Quem você é?

Acima de tudo, empreendedores de verdade não se auto-intitulam “empreendedores.” Eles não fazem aquilo que todo mundo está fazendo. Eles não seguem o status quo, a sabedoria convencional ou seja lá o que for que estiver na moda. Eles abrem o seu caminho próprio e único. Eles são líderes de seus próprios destinos. É isso que os impulsiona. E é por isso que eles são vencedores.

Marco Fernandes

ProLucro Consultoria Empresarial

Alguns vídeos que podem lhe interessar:

O que é e quanto custa um PLANO DE NEGÓCIO?
O que é e quanto custa um PLANO ESTRATÉGICO EMPRESARIAL?
O que é e quanto custa uma AVALIAÇÃO DE EMPRESA?