Depois de uma longa ausência, de justificativas pouco interessantes, por isso os poupo, voltamos com duas notícias: uma ruim boa e uma boa ruim. Comecemos pela ruim boa.

A partir de 2013 a malha fina vai, finalmente, chegar às pequenas empresas. Já em 2012 A Receita Federal começa a cruzar os dados experimentalmente. Isso está sendo viabilizado por novos softwares e o elevado grau de informatização das receitas municipais, estaduais e federal. A escrituração e notas fiscais digitais estão também disseminadas entre as pequenas empresas. As grandes já passam por isso há mais tempo. Agora é a vez das médias e pequenas. O finalmente da primeira frase é por que essa é a crônica de uma morte anunciada. A sonegação e/ou informalidade displicente está com os dias contados.

O lado ruim da notícia é porque as empresas com algum descuido nesta área, estimo 90% das pequenas, provavelmente a sua também, precisam tomar as medidas necessárias já em 2011, pois o sistema começa a rodar experimentalmente ano que vem e vai que sua empresa cai na fase de testes. Pior, os dados cruzáveis já estão sendo coletados desde que sua empresa e/ou seus fornecedores e clientes começaram a ser escriturados digitalmente e/ou emitir notas fiscais eletrônicas. Não se sabe ainda, mas teoricamente e legalmente a varredura poderá voltar a até 5 anos atrás. Ameniza um pouco eles estarem falando em passar de 3,5 mil para “apenas” 30 mil empresas fiscalizadas em 2013. As menores ainda devem ficar pra mais adiante, mas cedo ou tarde entra todo mundo no bolo. E retroativamente. Lembrem-se dos 5 anos atrás. Enfim, tem que estudar tudo direitinho o mais breve possível e pagar um pouco mais de imposto talvez seja inevitável já em 2012. Se está na dúvida com as instruções do seu contador, ainda vai ter que gastar um pouquinho com consultoria. É hora de fazer o famoso planejamento tributário, tão comum nas grandes empresas.

Leia mais:   Vitrines comerciais: alguns cuidados ao expor opiniões pessoais

O lado bom é que seu concorrente também vai ter que se adequar, ou seja, sua empresa não perde competitividade. Além disso, o Brasil caminhar para a formalidade é uma vitória da sociedade. Vamos deixando pra trás a cultura da informalidade, do jeitinho, da complacência. É o desenvolvimento batendo na nossa porta. Já vem tarde. E pelo amor de Deus. Não me venha dizer que não paga mais imposto por que ele é mal gasto. Já pensou se todo mundo fizesse isso? Seria o caos. Vote melhor, apoie melhores políticos, faça alguma ação pública. Vigie como seus impostos são gastos. É a única solução. Ainda nesta linha, se a sonegação diminui, ocorre o famoso alargamento da base tributária. Mais pessoas e empresas pagando impostos criam condições para que as alíquotas dos impostos caiam. Cedo ou tarde isso vai acontecer. Ainda teremos o governo que merecemos.

Ah! Sua empresa já é 100% formal. Parabéns. A notícia é só boa. A concorrência vai ter que se adequar e sua competitividade aumenta.

Para saber mais, cole no seu buscador: receita federal malha fina pequenas empresas.

O texto ficou grande. Fica pra semana que vem a notícia BOA RUIM.

Abraços,

Flávio Barcellos Guimarães

Consultor

Alguns vídeos que podem lhe interessar:

O que é e quanto custa um PLANO DE NEGÓCIO?
O que é e quanto custa um PLANO ESTRATÉGICO EMPRESARIAL?
O que é e quanto custa uma AVALIAÇÃO DE EMPRESA?