regras de etiqueta para empreendedoresNo ritmo muitas vezes selvagem do mundo dos negócios, as pessoas acabam cometendo pequenos deslizes que podem pegar muitíssimo mal. Esta não é de modo algum uma lista definitiva, mas vale a pena esforçar-se no sentido de evitar essas indelicadezas com parceiros, clientes, fornecedores ou quem quer que seja.

Não ser pontual.

Deixar os outros esperando é o mesmo que dizer, “a sua vida pode ser curta, mas não tão curta e nem tão importante quanto a minha.” Todos nós sabemos o quanto é duro manter uma agenda perfeita, mas não é impossível ser pontual, se você decidir que isso é importante para você. Ainda que muitas pessoas “ocupadíssimas” possam querer negar, chegar na hora – ou atrasado – é uma escolha, seja ela consciente ou não.

Evasão de comunicação.

Isso acontece a toda hora – o telefone toca, o sr. Importante olha para a tela e não atende a chamada, apesar de poder perfeitamente fazê-lo, e então digita imediatamente um texto que diz “o que há de novo?” ou coisa que o valha, por nenhuma outra razão senão a de evitar falar com você. Isso é uma desconsideração que pode dar-lhe ares de arrogância, além de ser ineficiente.

E o contrário… abuso do telefone.

Nos dias de hoje, isso já tornou-se óbvio, mas parece que todos perderam o auto-controle quando se trata do vício do celular ou do smartphone. Vemos isso o tempo todo: usando o telefone em banheiros públicos, digitando textos durante uma conversa ou reunião, enviando emails em um restaurante elegante. A mensagem é curta e grossa, você não tem muita consideração pela pessoa que está em sua companhia naquele momento.

Leia mais:   5 erros de gestão que até empresários experientes ainda cometem

Pedir para enviarem-lhe mensagens, e depois ignorá-las.

Se você tem uma caixa de voicemail, ou disponibiliza qualquer outro meio para deixarem-lhe mensagens, isso implica que você deve checá-las e reagir a elas. Porém, cada vez mais gente que utiliza a gravação padrão “deixe uma mensagem e logo responderei” jamais visita a caixa para ver se há alguma coisa. Se você não deseja receber mensagens, ou não pretende respondê-las, tudo bem – simplesmente não peça para deixarem uma mensagem. Desabilite a sua caixa de voicemail, ou deixe uma mensagem dizendo que você não costuma checá-la. Nada mais simples.

Ser ingrato.

Se alguém fizer algo bacana por você, demonstre a sua gratidão. Na maioria das vezes, basta que você simplesmente diga “muito obrigado.” A gratidão às vezes parece estar à beira da extinção nos dias de hoje.

Exigir, em vez de pedir.

Quando deixamos de dizer “por favor” – ou algo equivalente – um pedido pode soar como uma ordem, mesmo se não houver sido essa a sua intenção. Isso em parte é um infeliz sub-produto da linguagem do mundo dos negócios – onde aquele que usa menos palavras é claramente o mais ocupado e o mais importante. Mas existem quilômetros de diferença no tom de “por favor, traga-me aquele relatório” e “traga-me aquele relatório.” É claro que o seu interlocutor vai entendê-lo de um jeito ou de outro, mas o que custa acrescentar uma palavrinha? Se você for do tipo afobado, experimente escrever “fvr” (é melhor do que nada).

Leia mais:   A capacidade de liderança é um talento inato, ou pode ser desenvolvida?

O manto do anonimato.

Notas que não contêm nomes – especialmente quando dirigidas a clientes que possam querer ou precisar responder-lhe, ou mesmo organizar os seus arquivos – são o fim da picada. Se você estiver escrevendo a alguém que ainda não o conhece, não deixe de incluir o seu nome. De quem você está se escondendo, e porquê?

Omitir o nome dos outros.

Não é para você mencionar o nome de todas as pessoas importantes que você conhece. Mas não dirigir-se a alguém pelo nome quando você pode e deve fazê-lo. Isso é algo que acontece o tempo todo em serviços (ruins) de suporte ao cliente. Se alguém informar-lhe o seu nome, utilize-o para dirigir-se a ele.

Dispensa de candidatos a emprego.

Muitas vezes o sujeito é entrevistado por uma empresa, e nunca mais é procurado por ela de novo. Se você considerou que valia a pena entrevistar alguém, essa pessoa merece um retorno, mesmo que não seja aproveitada.

Encher o saco dos outros 99% do universo.

Infelizmente, muitos empresários comportam-se como se fossem o centro do universo. Não importa se a sua área de atuação limita-se a uma pequena cidadezinha, ou se você faz negócios com todo o planeta. A cortesia tranquila e humilde é uma linguagem que pode ser compreendida em qualquer lugar.

Mesmo quando tentamos forçar-nos a um alto padrão de educação, vivemos em uma sociedade e rodeados por uma tecnologia que tornam muito difícil, mesmo para o mais impecável profissional, evitar sermos rudes e indelicados. Como eu disse, essa lista é incompleta, e existem um monte de outras formas de se causar uma má impressão. Faça a sua própria lista – e evite recair nos mesmos erros.

Leia mais:   Intraempreendedorismo: como ele pode ajudar a sua empresa a crescer?

Marco Fernandes

ProLucro Consultoria Empresarial

Alguns vídeos que podem lhe interessar:

O que é e quanto custa um PLANO DE NEGÓCIO?
O que é e quanto custa um PLANO ESTRATÉGICO EMPRESARIAL?
O que é e quanto custa uma AVALIAÇÃO DE EMPRESA?