vender uma empresaEm um artigo recente, examinamos os fatores envolvidos na avaliação de uma empresa saudável, em plena operação, e apresentando rendimentos satisfatórios. Como vimos, essa é uma situação em que o avaliador tentará realizar projeções confiáveis, destinadas a estimar as probabilidades dessa empresa continuar gerando os mesmo lucros por um determinado período no tempo futuro. No entanto, nem sempre é possível vender-se um negócio nas condições ideais ali descritas. E se a empresa estiver passando por dificuldades? E se em suas operações recentes a organização não venha apresentando lucros que possam ser projetados no futuro?

Nessa situação especial, infelizmente, não há outra alternativa senão avaliarmos a empresa com base unicamente em seus ativos. O avaliador deverá proceder então a um minucioso levantamento de todos os bens incluídos na barganha, tais como imóveis, instalações, máquinas, equipamentos, veículos, matérias-primas, estoques de produtos manufaturados, mercadorias diversas, enfim, todo objeto possuidor de algum valor que faça parte do acervo da empresa que é objeto da presente avaliação. Mas esses bens materiais e palpáveis, também conhecidos como bens tangíveis, constituem apenas uma das variáveis em nossa equação.

Na hora de se vender uma empresa na situação descrita acima, após enumerar todos os ítens que deverão ser incluídos na venda, cabe ao proprietário do negócio proceder a uma exaustiva pesquisa dos bens intangíveis que estarão sendo cedidos ao comprador. Apesar da situação difícil por que passa essa nossa empresa, não possuiria ela uma carteira de clientes que possa ser recuperada por meio de um esforço do novo proprietário? Esse é um exemplo típico de bens intangíveis que valem dinheiro na hora da avaliação. Mesmo na fase ruim pela qual ela passa agora, será que essa empresa não é dona de marcas registradas valiosas, que possam ser ressuscitadas por meio de uma hábil campanha de marketing? Esse é um outro bem intangível que o antigo proprietário certamente não cederá de graça ao vender o seu negócio.

Leia mais:   Aprenda a escutar: Como responder a queixas de clientes

A lista de bens intangíveis associada à transferência de qualquer tipo de negócio pode, de fato, incluir itens que jamais passaram pela cabeça do proprietário, daí a importância de se recorrer à assistência de um profissional especializado na hora de se fazer esse tipo de levantamento. Talvez você tenha no passado registrado alguma patente de algum produto novo; isso é algo que também pode valer um dinheiro adicional nessa hora. E o que dizer de contratos de serviços que estejam em pleno vigor, e com cuja execução o novo proprietário irá comprometer-se? Os valores previstos nesses instrumentos podem e devem ser incluídos na soma final da avaliação da empresa.

De forma ideal, nunca deveríamos vender uma empresa no momento em que ela passa por dificuldades, pois essa é a hora em que o seu valor de mercado encontra-se em seu patamar mais baixo. Seria preferível tentar imprimir-lhe uma recuperação mínima, de forma a obter um preço melhor. Mas como nem sempre estamos na posição de fazer esse tipo de escolha, ficam aí essas dicas para negociar a sua empresa sem maiores perdas. E mais uma vez, não deixe de recorrer a um profissional especializado nessa hora. Ele será de extrema utilidade principalmente no que se refere à identificação dos bens intangíveis descritos acima, e que você, inadvertidamente, poderá estar cedendo de graça, na pressa de fechar um negócio.

Leia mais:   Por que investir em uma consultoria online de negócios?

Marco Fernandes

ProLucro Consultoria Empresarial

Alguns vídeos que podem lhe interessar:

O que é e quanto custa um PLANO DE NEGÓCIO?
O que é e quanto custa um PLANO ESTRATÉGICO EMPRESARIAL?
O que é e quanto custa uma AVALIAÇÃO DE EMPRESA?