Compreendendo as engrenagens de uma microempresaA definição de microempresa varia conforme o país mas, de forma geral, refere-se a um negócio que emprega um máximo de 10 funcionários, onde o proprietário muitas vezes costuma contribuir com o seu próprio trabalho. Segundo a legislação brasileira, um negócio pode ser considerado uma microempresa quando possui uma receita bruta anual igual ou inferior a R$ 360.000,00. Se a receita bruta anual for maior do que esse valor, e inferior a R$ 3.600.000,00, ela passa a ser considerada uma empresa de pequeno porte (EPP).

Na maioria dos países do mundo, a microempresa constitui uma vasta proporção do total de empresas, e representa uma força significativa da economia local. Elas são importantes para a economia, pois dão emprego a uma vasta porção da força de trabalho, facilitam a inovação e o empreendedorismo, além de suprir uma avenida para o oferecimento de produtos e serviços especializados ao mercado.

A principal característica de um micro-negócio é a de ser controlado e operado de forma independente, isto é, ele não é propriedade de um grande negócio. O proprietário-gerente é normalmente responsável pela maioria – se não por todos – os aspectos do negócio; desde a execução das operações quotidianas do negócio, ter a seu cargo toda a tomada de decisões, bem como o financiamento do negócio (planejamento estratégico empresarial). De forma geral, eles também arcam com a maior parte dos riscos associados ao empreendimento, pois fornecem o investimento inicial como capital, ou utilizam ativos pessoais, tais como um imóvel próprio, como garantia na obtenção de um empréstimo bancário destinado a financiar o negócio. As consequências de empreendimentos falidos podem ser significativas para o proprietário-gerente (plano e gestão de crise financeira). Por outro lado, se o negócio for bem sucedido, eles geralmente colhem todos os benefícios dos lucros alcançados. Muitos micro-negócios são também empresas domésticas, significando que são operados na própria residência do proprietário, em vez de um escritório ou loja.

Leia mais:   Nunca despreze um cliente bom pagador

Existem numerosas e variadas razões positivas para abrir-se um micro-negócio.

Muitos indivíduos optam por abrir o seu próprio micro-negócio movidos pelo desejo de ser o seu próprio patrão (desenvolvimento do perfil empreendedor); eles buscam o auto-emprego e a independência. O sonho de não ter de responder a superiores, ou de lidar com jornadas pesadas e com a politicagem do ambiente de trabalho, seduz muitas pessoas que consideram uma tal opção. Ser o proprietário de um micro-negócio dá-lhe autonomia sobre o negócio. Por outro lado, com essa autonomia vem a responsabilidade por todos os detalhes do negócio, e muitas vezes o sucesso do empreendimento dependerá totalmente de você.

Muita gente acha que a flexibilidade associada a tocar-se o próprio negócio é algo vantajoso para elas. Proprietários podem ser flexíveis no que se refere a horários de trabalho; eles não têm necessariamente de obedecer a horários de trabalho tradicionais, pois podem ajustá-los em torno de obrigações pessoais e familiares. Isso é particularmente atraente para esposas e mães, e há um número significativo de mulheres que são proprietárias de microempresas. Além disso, microempresas têm a flexibilidade ausente nas grandes companhias, na medida em que são capazes de facilmente reagir e responder a mudanças, eventos e oportunidades bruscas, e explorá-los para obter uma vantagem competitiva sobre os outros atores do mercado.

Um outro fator atraente para abrir-se um micro-negócio é a habilidade de perseguir os seus próprios interesses. Muitos proprietários abriram um negócio a partir de algo que, inicialmente, era um hobby ou um passatempo. Se você for apaixonado e entusiasmado com o seu negócio, a operação do mesmo será muito mais gratificante e agradável.

Leia mais:   Pequenas empresas que vendem para pequenas empresas

Muitos indivíduos também acreditam que, através do trabalho duro e de um planejamento minucioso (plano de negócios), abrir e tocar o seu próprio negócio proporcionará uma melhor renda do que a obtida com o seu atual empregador.

Todos esses fatores, entre outros, podem somar-se às razões pelas quais as pessoas optam por aventurar-se a abrir o seu próprio micro-negócio. Porém, é também muito importante considerar e avaliar as possíveis desvantagens de se abrir um micro-negócio, antes de tomar-se quaisquer decisões finais.

Ainda que haja muitas vantagens em ser o proprietário e operar-se uma microempresa, há também várias desvantagens que precisam ser consideradas antes de tomar-se quaisquer decisões nesse sentido.

A própria natureza do mundo dos negócios, além da economia, sempre colocarão algumas incertezas à sua frente. O mercado evolui com rapidez, com constantes mudanças na preferência do consumidor, nos preços, na oferta e na concorrência (planejamento estratégico empresarial). Essas mudanças e flutuações criam muitas incertezas para os negócios, levando a um certo número de riscos associados às operações e à viabilidade do seu negócio.

Como proprietário-gerente do seu negócio, a maioria de suas operações caberão a você. Se o negócio não produzir um lucro, ou um nível adequado de lucro, então isso poderá ter um impacto financeiro que o afetará pessoalmente, nos casos em que o seu negócio for também a sua fonte principal de renda. Se o negócio não for bem sucedido (plano e gestão de crise financeira), você poderá perder o seu investimento inicial, bem como ativos pessoais, se você precisar repor empréstimos, dívidas, etc. O risco financeiro envolvido na abertura de um negócio é significativo, e deve ser considerado cuidadosamente.

Leia mais:   Como conceitos da área de gestão de projetos podem ajudar o proprietário de um pequeno negócio

Finalmente, como proprietário-gerente do seu negócio, você poderá ser obrigado a trabalhar horas mais longas, potencialmente levar trabalho para casa, bem como ser responsável por muitos – senão todos – os aspectos do negócio. Esse fardo pode resultar em stress e pressões pessoais, e poderá representar uma mudança no seu estilo de vida, com menos tempo para a família e para o lazer. A criação de um equilíbrio trabalho-vida administrável, especialmente nos estágios iniciais da startup, pode ser um tanto difícil.

Marco Fernandes

ProLucro Consultoria Empresarial

Alguns vídeos que podem lhe interessar:

O que é e quanto custa um PLANO DE NEGÓCIO?
O que é e quanto custa um PLANO ESTRATÉGICO EMPRESARIAL?
O que é e quanto custa uma AVALIAÇÃO DE EMPRESA?