crise financeira na empresa o que fazerNo decorrer de seu ciclo de vida, toda e qualquer empresa está sujeita a problemas financeiros. Neste momento, o importante é identificar rapidamente os problemas e estabelecer um plano de metas para suas soluções.

Má administração, desperdício, falta de competitividade, falta de precificação de seus produtos ou serviços, altos custos e problemas trabalhistas são alguns geradores de crise financeira na empresa.

As crises financeiras não escolhem as empresas pelo tamanho, mas pelas suas práticas.

Em geral uma crise financeira vai se formando ao longo do tempo, ela não chega de repente, a grande maioria se forma com o encontro de fatores externos e os vícios administrativos da gestão interna. Geradora de muita especulação e boatos a crise financeira causa uma grande desmotivação e acomodação na equipe, agravando-se quando nos casos agudos, ocorrem atrasos de salários, comprometimento de benefícios e até demissões. A reputação da empresa junto ao seu mercado é abalada, impactando diretamente no relacionamento com seus clientes, colaboradores, fornecedores, agentes financeiros e etc.

As atitudes diante a crise são diversas, alguns simplesmente a negam, não aceitam o problema e continuam como nada tivesse acontecido. Uma parcela gasta mais para demonstrar que a crise não é com ele, e outros que desenvolvem depressão. O correto é encarar a crise, ser racional e não se desesperar,  é acreditar que pode tirar seu empreendimento do vermelho.

Leia mais:   "Meu sócio é o cara!" - como escolher meu sócio?

Identificada à crise financeira, cabe agora ao empresário e sua equipe uma análise real e profunda da situação da empresa. Enxergá-la de uma maneira prática é o grande passo para encontrar soluções. Temos que identificar e sanar os problemas atuais e eliminar as origens. Que medidas precisarão ser tomadas para reverter o quadro?  É hora de encontrar coragem para fazer mudanças, aquelas que já sabíamos que deveriam ser feitas e outras até impensadas, mas que no momento de crise se tornam inadiáveis.

A Transparência juntos aos credores e funcionários é fundamental, elimine especulações, a hora é de convocar seus colaboradores para a recuperação da empresa.  Os credores e funcionários não querem quebrar sua empresa, pois perderão negócios futuros, e todos querem receber.

O empresário e sua equipe não podem repetir os erros do passado, a gestão tem que mudar, a forma de gerir agora é outra. As estratégias de recuperação pré-definidas para ações de curto, médio e longo prazo tem que ser cumpridas e avaliadas e ajustes efetuados se necessário.

Paralelamente a clara mudança de gestão, é fundamental envolver os funcionários no processo de recuperação com estratégias de metas e prioridades visando o aumento de produtividade e a redução de custos.

Por fim, dependendo da complexidade do problema ou da incapacidade dos gestores para o enfrentamento da crise, uma equipe de fora da organização como uma consultoria empresarial, composta de profissionais experientes, com seriedade e conhecimento, é capaz de elaborar e implementar um plano de recuperação e dar uma luz no fim desse túnel.

Leia mais:   Avaliação de empresas: como funciona?

 Crise pode significar riscos e ameaças, mas também pode ser o grande salto da empresa, a oportunidade para grandes mudanças e grandes negócios.

Ricardo Luiz Gil de Lima
Consultor ProLucro

Related Post

Alguns vídeos que podem lhe interessar:

O que é e quanto custa um PLANO DE NEGÓCIO?
O que é e quanto custa um PLANO ESTRATÉGICO EMPRESARIAL?
O que é e quanto custa uma AVALIAÇÃO DE EMPRESA?