Empregados Desmotivados: Como Alterar Esse QuadroVocê tem a sensação de que o rendimento da sua equipe está deixando a desejar? De fato, você não está sozinho. Segundo estimativas de especialistas, mais da metade do mercado de trabalho executa as suas tarefas diárias com baixos níveis de engajamento. Calcula-se que essa tendência custe bilhões a cada ano (plano e gestão de crise financeira) em produtividade perdida.

O problema ocorre quando trabalhadores não se sentem desafiados, estão estressados com a carga diária de trabalho, e/ou estão trabalhando em um ambiente improdutivo ou desestimulante para as metas e potencialidades de suas carreiras a longo prazo. E quando empregados ficam descontentes com seus empregadores, fazem corpo mole no trabalho, influenciam negativamente os colegas, faltam ao trabalho e afugentam os clientes, as consequências podem ser calamitosas para o seu negócio.

Se você sente-se desengajado ou está percebendo vácuos de motivação no seu negócio, tenha em mente que podem haver fatores externos em ação aqui – nós somos humanos, afinal. Empregados atolados em uma agenda de trabalho excessivamente carregada, uma liderança obcecada com a micro-gestão (desenvolvimento do perfil empreendedor), baixos salários ou mentes entorpecidas por dias de tédio, tudo isso pode estar minando a motivação do seu time. É importante que a empresa esteja em sintonia com seus empregados. Revisões regulares, entrevistas frente à frente com gerentes, estabelecimento de metas (planejamento estratégico empresarial) e o reconhecimento de empregados merecedores, precisam todos ser incluídos em um plano de “satisfação do empregado.”

Leia mais:   Impostos são mesmo capazes de matar uma pequena empresa?

Mas se você notar que um de seus empregados está tendo problemas, ajude-o a recuperar a satisfação perdida através de uns poucos cuidados de rotina.

Identifique exatamente o quê os está incomodando

Quando o seu carro enguiça, você o leva a um mecânico que seja capaz de dizer-lhe exatamente o que está errado com ele. Replique esse processo com as emoções de seus empregados. Você não poderá consertar o que está quebrado, a não ser sabendo o que está errado. Você é capaz de rastrear a energia negativa até chegar a uma pessoa, projeto, ou momento específico no tempo?

Saiba que esse processo poderá ser desafiador, pois alguma investigação sempre é requerida para apurar-se o que está chateando alguém; especialmente em situações desconfortáveis.

Ajude seu empregado a decidir o que ele realmente quer

Depois de ter uma idéia clara do que está incomodando esse membro da sua equipe, você precisa ajudá-lo a decidir como ele gostaria que fosse o seu trabalho, em uma situação ideal. Seria do seu agrado uma transição para uma nova função? Ele sente que precisa de um aumento? Trabalharia ele melhor com um gerente diferente? Há alguma outra posição onde ele caiba melhor? O seu papel é ser um treinador construtivo (desenvolvimento do perfil empreendedor) para ajudá-los a navegar as metas de suas carreiras.

Trabalhe com seu empregado para determinar o quê o faz feliz. Então identifique as metas e passos necessários ao cumprimento dessas metas.

Leia mais:   6 estratégias para aumentar as vendas de sua empresa!

Ajude seu empregado a assumir o comando de sua própria situação

Mesmo nas piores circunstâncias e ambientes, ajude seu empregado a sentir-se no controle dos destinos de sua carreira. Pode ser que você não seja capaz de efetuar uma mudança imediata; mas você pode auxiliá-lo a iniciar o processo rumo a esse objetivo.

Comece a buscar meios de ajudá-lo a ir em frente, mesmo que sejam passos tímidos. Criando-se etapas de sucesso ao longo dos meses à frente, eles poderão crescer pouco a pouco.

Promova a concórdia no ambiente de trabalho

Ajude seu empregado a separar a lógica da emoção. Se eles forem capazes de distanciar-se daquilo que os incomoda, isso irá ajudá-los a visualizar o grande quadro e ter uma mudança de paradigma. Isso são negócios, e não uma guerra. Ajudar o seu empregado a perceber que ele está lidando com gente no interior da organização – e não com inimigos – pode ser de grande valia. Por mais ferido, triste ou abandonado que ele possa estar se sentindo, uma má situação nunca deve ser pessoal. Ajude-os a enfrentar seus temores, preocupações e dúvidas, e a aprender a administrar o stress do ambiente de trabalho.

Marco Fernandes

ProLucro Consultoria Empresarial

Alguns vídeos que podem lhe interessar:

O que é e quanto custa um PLANO DE NEGÓCIO?
O que é e quanto custa um PLANO ESTRATÉGICO EMPRESARIAL?
O que é e quanto custa uma AVALIAÇÃO DE EMPRESA?