Inovar é bom, difícil é fazer os empregados aceitarem as inovaçõesA mudança é algo essencial para a sua empresa permanecer relevante e à frente da curva. Porém, enquanto os administradores amam a mudança, os empregados muitas vezes a temem – ou lutam contra ela. Você sempre pode demitir um empregado que não se enquadra no programa, mas isso vai contra o bom senso dos negócios. A verdadeira liderança implica em conquistar aqueles que você lidera. E mais, fazendo isso você torna mais fácil o seu trabalho.

A escritora e consultora Lindsay Broder acredita que, com esses cinco passos, você pode implementar a mudança e garantir uma suave transição com os empregados que já estão a bordo, os quais trabalharão duro por que assim o desejam, e não por que são obrigados.

1. Espalhe a visão.

Explique claramente o que está mudando e porquê. Mostre aos empregados a posição em que você está hoje, e onde você pretende estar amanhã. Não deixe de demonstrar-lhes a razão pela qual isso é importante para a organização, como isso terá um impacto positivo na carreira deles e como você planeja medir o sucesso das inovações.

2. Personalize tarefas.

Certifique-se de que as tarefas atribuídas a cada pessoa exploram ao máximo a habilidade de cada um. Quando propensas ao sucesso, as pessoas estão mais motivadas para vencer. Como tentar enfiar uma peça quadrada em um buraco redondo, nada será feito se você posicionar uma pessoa generalista em uma tarefa rica em detalhes. Explique com clareza a cada um como o seu novo trabalho é vital para atingir-se o resultado. Então defina metas mensuráveis, e avise a todos que eles serão cobrados. Se for apropriado, deixe que os indivíduos tomem parte na definição do trabalho que eles estarão realizando.

Leia mais:   Como melhorar a tomada de decisões no negócio

3. Faça o acompanhamento.

Permaneça conectado, para ter certeza de que todos estão ligados na missão rumo à qual estão avançando. Mantenha uma política de portas abertas tanto quanto isso seja possível. Se não der, considere a possibilidade de estar sempre disponível via email, ou durante algumas horas do dia. É importante que os empregados tragam até você os desafios que encontrarem pelo caminho. Isso não quer dizer que você deva escutar toda queixa e lamentação que aparecer, mas você pode fazer saber a todo mundo que é simpático às suas preocupações, e que está disposto a trabalhar com eles na busca de soluções. Além disso, encoraje os empregados a trazerem eles próprios uma solução, quando vierem informá-lo de mais um problema.

4. Corte a resistência pela raiz.

Seja agressivo ao abordar questões nas quais você sente que há resistência. Isso é importante por duas razões. Primeiro, pequenos problemas têm o desagradável hábito de juntar gás e tornar-se um problema maior. Segundo, você não vai querer que empregados descontentes contaminem a mente de outros empregados que já estão colaborando na nova idéia.

5. Esteja preparado para mudar a mudança.

Assim como os empregados resistem às mudanças, às vezes deixamos de perceber que as nossas próprias mudanças não estão funcionando da maneira que gostaríamos que estivessem. Supondo-se que você atribuiu a tarefa correta ao trabalhador correto, solicite-lhes o seu feedback. Você tem de estar preparado a ouvir o conselho deles, e ajustar a sua própria estratégia de jogo. Às vezes isso implica em correções de médio curso. Em outras ocasiões, significa limpar a mesa e recomeçar do zero. Isso não é uma derrota – é apenas um sinal definitivo de que você dá valor ao engajamento que os seus empregados têm pelas idéias do patrão.

Leia mais:   Construindo uma equipe competente - Ciência ou Arte?

Marco Fernandes

ProLucro Consultoria Empresarial

Related Post

Alguns vídeos que podem lhe interessar:

O que é e quanto custa um PLANO DE NEGÓCIO?
O que é e quanto custa um PLANO ESTRATÉGICO EMPRESARIAL?
O que é e quanto custa uma AVALIAÇÃO DE EMPRESA?