Como escolher um sócio?Sociedade nos negócios, assim como um relacionamento afetivo, pode ser uma coisa complicada e, estatisticamente, é algo fadado mais ao fracasso que ao sucesso. Contudo, uma parceria saudável e funcional pode ajudar você e o seu sócio a atingir um sucesso maior e mais rápido do que jamais conseguiriam sozinhos. A empresa OrigAudio de equipamentos de áudio cumpriu muitas metas ambiciosas e encontrou um fenomenal sucesso, no curto espaço de apenas quatro anos. Segundo o proprietário Jason Lucash, muitas dessas vitórias podem ser atribuídas ao relacionamento de negócios construído entre ele e o seu sócio, Mike Szymczak.

Mas como escolher o parceiro que vai ajudá-lo a erguer o seu negócio a um patamar superior, e não fazê-lo afundar mais rápido que o Titanic? Aqui vão cinco dicas do próprio Lucash:

1. Hábitos de trabalho semelhantes.

É importante que a sociedade seja igualitária, especialmente em relação aos hábitos de trabalho. Se você trabalha das seis da manhã até as nove da noite, e o seu sócio aparece tranquilamente ao meio-dia para cair fora às cinco da tarde, vocês logo terão problemas. O estabelecimento de horários, expectativas e responsabilidades logo de início ajudará a reduzir a possibilidade de um de vocês sentir que está sendo injustamente sobrecarregado.

2. Estabilidade financeira e emocional.

Embora isso possa parecer invasivo, você precisa absolutamente conhecer a situação financeira de qualquer um com quem você pretende entrar em uma íntima parceria de negócios. Descubra se eles precisam de um cheque imediatamente, ou por quanto tempo poderão sobreviver se o tempo fechar de repente amanhã. Pessoas em situação financeira precária tendem a buscar ganhos imediatos, em prejuízo do sucesso da empresa a médio e longo prazo.

Leia mais:   5 maneiras de tornar-se um melhor administrador

Não é preciso nem dizer que o seu sócio deve ser emocionalmente estável. Você irá passar uma quantidade enorme de tempo com esse sujeito, portanto você precisa ser capaz de tolerar – se não apreciar – a experiência. Essa pessoa também irá representar e liderar a sua empresa, portanto certifique-se de que eles são capazes de aguentar a pressão.

3. Habilidades complementares.

Jamais escolha um sócio que seja exatamente igual a você. Os talentos do seu parceiro devem complementar, e não duplicar, os seus. A meta fundamental é encontrar alguém cujas habilidades e talentos possam expandir aquilo que vocês podem realizar como equipe.

4. Visão comum.

É muito fácil estar de acordo no começo, mas o que acontece com as metas do negócio a longo prazo? Certifique-se de que o futuro que você tem em mente está alinhado com os ideais do seu parceiro.

5. Confiança.

Todo bom relacionamento é baseado em um alicerce de confiança, mas isso fica um pouco complicado quando o seu bolso está envolvido. Se você não confia o suficiente no seu sócio para deixar o seu filho pequeno com ele, revelar-lhe o número do seu CPF, ou dar-lhe a chave da sua casa, é melhor cair fora antes mesmo de começar.

Segundo Lucash, ele e o seu sócio foram bem sucedidos por que reservaram um longo tempo para ter conversas brutalmente honestas sobre finanças, metas e expectativas, entre outras questões importantes. Não se esqueça que relacionamentos requerem ser trabalhados constantemente, portanto considere essas dicas antes de investir seu tempo, seu dinheiro e suas energias em uma nova sociedade de negócios.

Leia mais:   Você sabe trabalhar em casa?

A ProLucro pode ajudá-lo a maximizar o potencial produtivo seu e do(s) seu(s) sócio(s), após uma avaliação racional do seu Perfil Empreendedor. Conheça também o Planejamento Estratégico Empresarial, um instrumento multiplicador dos talentos não apenas dos sócios mas de toda a sua equipe de trabalho. Entre em contato ainda hoje com um Consultor ProLucro para conhecer estas e outras ferramentas para alavancar o seu negócio.

Marco Fernandes

Related Post

Alguns vídeos que podem lhe interessar:

O que é e quanto custa um PLANO DE NEGÓCIO?
O que é e quanto custa um PLANO ESTRATÉGICO EMPRESARIAL?
O que é e quanto custa uma AVALIAÇÃO DE EMPRESA?