controle de inventárioIndependente do tipo ou quantidade de produtos que você vende, quanto mais precisos forem os seus processos de controle de inventário, mais simples será a montagem da máquina bem lubrificada que vai auxiliá-lo a obter uma lucratividade máxima, e ao mesmo tempo oferecer a seus clientes o nível de serviço requerido para que eles comprem repetidamente. Aqui estão algumas maneiras de simplificar os seus processos de administração de inventário.

1. Identifique primeiro o que está funcionando (e o que não está).

Todo negócio que vende mercadorias deve lidar em alguma medida com administração de inventário, mas os problemas e soluções desta área variam de forma significativa, dependendo da eficácia do atual processo, e também das metas do negócio.

Ainda que existam numerosas ferramentas e aplicativos de baixo custo para a administração de inventário, capazes de atender às suas exigências comerciais em tempo real, é imperativo que você primeiro examine a métrica dos seus negócios (incluindo vendas, processamento e estoques disponíveis), para formar uma ideia de onde as coisas estão “quebradas,” e onde elas estão funcionando bem. De posse dessa informação, formule metas bem definidas de alteração do seu atual sistema, e não deixe de estabelecer parâmetros capazes de medir melhorias potenciais.

2. Mantenha o foco em maneiras de ganhar tempo.

O tempo pode ser um dos custos mais significativos no processo de administração de inventário, mas este é um fator bastante fácil de ser manipulado a seu favor, dependendo da sua habilidade de perceber eficiências que, no final, reduzam os seus custos fixos.

Leia mais:   Erros comuns em pesquisa de mercado: saiba evitá-los

Adote uma abordagem de bom senso em sua administração de inventário, buscando formas baratas de eliminar a redundância. O desenvolvimento de etiquetas-padrão de devolução, para serem incluídas em todo pedido do cliente, por exemplo, poderia reduzir o número de consultas dos consumidores de como devolver um ítem. Já que essa etiqueta poderia incluir a informação necessária para reposicionar rapidamente em seu depósito o ítem devolvido, essa eficiência adicional poderia minimizar a perda experimentada com a devolução.

3. Facilite a distinção visual dos ítens do seu inventário.

Manter um estoque muito grande de produtos que não vendem com rapidez impõe limites ao seu fluxo de caixa, ocupa um espaço precioso no seu depósito e é um entrave à eficiência. Estabeleça uma distinção entre os seus produtos nobres, que constituem o “arroz com feijão” que jamais deve faltar em seu estoque, dos produtos secundários que possam ser sazonais ou influenciados por modismos, bem como daqueles cuja venda seja infrequente por qualquer outro motivo.

Não deixe de estabelecer o ciclo de vida dos produtos secundários, a fim de reduzir proativamente as chances de acumular um estoque excessivo desses itens, à medida que o pico da estação vai chegando ao seu fim. A utilização de sinalizações visuais simples, tais como etiquetas coloridas de inventário, também pode ser de grande ajuda para identificar encalhes de itens secundários, apontando para a necessidade de promoções tempestivas destinadas a remover tais mercadorias do estoque.

Leia mais:   MEI – Microempreendedor individual – Benefícios e principais considerações

4. Mantenha o foco na importância das pessoas.

A administração de inventário é uma função crítica do negócio, em parte por que ela tem um impacto direto e significativo sobre a experiência do consumidor. Com isso em mente, uma das maneiras mais simples de otimizar a sua administração de inventário é dando a devida atenção ao aspecto “humano” que ele traz em seu bojo – tanto em seu negócio quanto em seus relacionamentos com fornecedores. Equipes de administração de inventário devem incluir gente focada em detalhes, que tenha um sentido de urgência e que seja capaz de proativamente reconhecer e resolver problemas. Procure essas virtudes ao contratar o seu pessoal, e dê-lhes espaço para trazerem idéias de como melhorar os processos.

Igualmente importantes são as pessoas envolvidas na sua cadeia de suprimentos, incluindo fornecedores e transportadores. Em vez de buscar apenas o melhor preço, dê preferência a provedores com foco em serviços, e que deem valor aos aspectos importantes de um relacionamento simbiótico, com ênfase na garantia de que produtos críticos não vão faltar-lhe quando a demanda for alta.

5. Escolha sistemas que funcionem em harmonia.

Independente da tecnologia que você possa utilizar para vender as suas mercadorias e administrar o seu inventário, tanto online quanto offline, não deixe de optar por sistemas especificamente construídos para comunicar-se bem com outros sistemas, inclusive os sistemas internos existentes no seu negócio, bem como aqueles para os quais você terceirize funções críticas de negócios (como centrais de entregas e contadores).

Leia mais:   5 maneiras de manter um fluxo de caixa saudável

Pode ser que as tecnologias customizadas para funcionarem com outros sistemas populares não sejam as mais baratas, mas os custos de uma discrepância ou de um erro no seu inventário e sistemas financeiros conexos poderão ser bem maiores que o dinheiro extra investido em um sistema de primeira.

A administração de inventário é uma função de negócios que provavelmente jamais estará 100% sob o seu controle, mas com os sistemas corretos no lugar, você estará adquirindo a eficiência inventarial que – no final – irá impulsionar o retorno do seu investimento.

Marco Fernandes

ProLucro Consultoria Empresarial

Alguns vídeos que podem lhe interessar:

O que é e quanto custa um PLANO DE NEGÓCIO?
O que é e quanto custa um PLANO ESTRATÉGICO EMPRESARIAL?
O que é e quanto custa uma AVALIAÇÃO DE EMPRESA?