Quero Consultoria

Preencha nosso formulário, logo entraremos em contato.

Vale a pena vender para o governo?

vale a pena vender para o governoSempre que o mercado entra em recessão, aumenta a necessidade de busca de novos clientes, novos fornecedores, novos produtos, novas formas de relacionamento com clientes e uma série de ações para que as empresas reajam às mudanças de consumo e garantam sua sobrevivência. Dentre as varias opções, gostaria de abordar neste artigo o mercado das compras governamentais, ou seja vender para o governo.

Se você pensa como boa parte dos empresários, é muito provável que esteja pensando em abandonar a leitura deste texto. Afinal governos não pagam, as licitações são um jogo de cartas marcadas e, para complicar, é extremamente burocrático participar desse mercado! Entretanto gostaria de perguntar ao leitor: porque as empresas que vendem para o governo não saem desse mercado há anos?

Você poderia dizer que essas empresas fazem parte do jogo de cartas marcadas. Será verdade isso? Você acredita que todos que fornecem e compram para os governos são corruptos? Eu prefiro ver o outro lado da moeda e entender que da mesma forma que existem corruptos, existem bons empresários e bons servidores públicos que fazem seu trabalho corretamente. Entretanto esses bons empresários e bons servidores não ocupam os noticiários. Cerca de 10% dos processos de compras apresentam irregularidades e isso é verdade. Entretanto sobram 90% que transcorrem normalmente todos os dias!! E é sobre esses 90% que gostaria que você pensasse um pouco.

ID-100423607Para termos uma ideia do tamanho do mercado das compras governamentais, segundo dados do portal da transparência, em 2016 o Governo de Minas comprou mais de R$ 8 bilhões de seus fornecedores. Para ser mais exato, foram R$ 8.646.765.926,44. Um município de porte médio com cerca 90 mil habitantes, como Lavras, no sul de Minas Gerais, comprou R$ 68.907.347,85 em 2016 segundo o Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais. E um pequeno município com aproximadamente 5 mil habitantes, como Oratórios, na Zona da Mata, comprou R$ 4.287.048,76 em 2016, também segundo o TCE-MG. Observe que independente do porte as compras são de valores muito elevados.

O que o empresário precisa fazer é tratar o governo como um cliente que compra em grandes volumes e, como todo cliente, é preciso separar os bons dos maus clientes. Iniciar as vendas com pequenos volumes e, depois de estabelecer confiança, ir aumentando a participação em vendas maiores. Como não temos um SPC ou Serasa dos governos é fundamental buscar informações junto a outros empresários, contadores e aos próprios servidores.

Para facilitar listamos algumas dicas que julgamos importantes:

  • O Órgão para o qual pretendemos fornecer está pagando com quantos dias após a entrega em média?
  • Temos capital de giro para bancar o prazo médio de pagamento?
  • Podemos fazer a entrega sem comprometer o atendimento a outros clientes?
  • O preço mínimo que pretendemos praticar cobre todo os custos e nos dá margem de lucro aceitável?

A essa altura imagino que você começa a considerar a possibilidade de vender para o governo e falta agora apenas responder sobre as questões burocráticas. Essa é a parte mais fácil. Busque uma breve capacitação que variam entre 8 e 16 horas junto às Associações de Municípios, Sebrae, Agencias de Desenvolvimento e consultorias especializadas. Boa parte dessas capacitações são ofertadas virtualmente.

Em resumo, buscamos neste breve artigo apresentar uma opção de expansão de mercado para sua empresa de modo claro e objetivo, considerando a realidade do mercado das compras governamentais e não apenas o que se houve nos noticiários. Lembre-se que nosso país está mudando e a participação da sociedade é fundamental para aumentar a transparência. Na medida em que você passa a participar das licitações, além de poder fazer novos negócios, será também um fiscalizador do processo de compras garantindo a lisura de todo o processo. Isto porque sabemos que só existe corrupção se houver maus servidores e maus empresários atuando juntos. E você como um bom empresário não deixará a corrupção acontecer nos processos que participar!

Por isso vender para o governo além de uma boa oportunidade de negócio é um forte instrumento de combate à corrupção!

Paulo
Marcelo Coutinho
Consultor em Desenvolvimento Econômico Local.
Consultor Credenciado Sebrae Minas.

ABRIR UM NOVO NEGÓCIO

Plano de negócios

Começar do zero, abrir uma filial, comprar uma empresa aberta, entrar de sociedade, investir nos outros…
A ProLucro vai te auxiliar.
Saber mais

MELHORAR MEU NEGÓCIO ATUAL

VAMOS LÁ!

Organizar, crescer, aumentar o lucro, sair da crise, trabalhar com mais prazer, trabalhar menos, fazer minha sucessão…
A ProLucro vai te auxiliar.
Saiba Mais

CONSULTORIA ONLINE

VAMOS LÁ!

Conte com nossos profissionais para aumento do desempenho e sucesso do seu negócio.
A ProLucro vai te auxiliar.
Saiba Mais

SABER QUANTO VALE MEU NEGÓCIO

VAMOS LÁ!

Querem comprar meu negócio, às vezes penso em vender, tenho um investidor interessado, quero saber o valor da minha empresa…
ProLucro vai te auxiliar.
Saiba Mais

Compartilhe

Quer conversar com um consultor sem compromisso?

Quero!

Preencha nosso formulário, logo entraremos em contato.

Cadastre-se em nossa Newsletter

Receba dicas e novidades exclusivas da ProLucro direto em seu e-mail.