viralidade socialUm dos muitos neologismos que tomaram a Internet de assalto, “viral” é um termo da área de anúncios e marketing, denotando qualquer coisa que espalha-se rapidamente (como um “vírus”), atingindo um grande público. Por exemplo, “… o meu vídeo tornou-se ‘viral’ no YouTube,” significando que ele obteve milhões de acessos em um período de tempo relativamente curto.

Tornar-se “viral” no mundo moderno, porém, não refere-se somente a capturar as gracinhas do seu bebê em vídeo, ou criar uma caricatura engraçada de um bichinho. Algo em torno de 27 milhões de fragmentos de conteúdo online são compartilhados a cada dia na Internet, e muitos deles estão sendo produzidos por empresas que perceberam a importância da viralidade social para o seu negócio e para a sua presença na web.

Mídias sociais têm-se tornado uma espécie de rolo compressor moderno. As pessoas gastam uma média de 37 minutos todos os dias utilizando o Facebook, Twitter, Pinterest, e outros sites sociais, o que faz desse tipo de interação a atividade número 1 da Internet, na frente de e-mails e da navegação em geral. A imensa popularidade desses sites significa que é muito mais provável que a sua platéia-alvo esteja no Facebook do que no seu próprio website.

Você não deve deixar-se desencorajar, porém. Conteúdo viral postado em páginas de mídias sociais pode aguçar a curiosidade da sua platéia-alvo, e seduzi-los a visitar o seu website. Como isso é compartilhado por grupos de amigos com interesses similares, mais gente acabará parando na sua página. Se conseguir tornar-se viral, o conteúdo do seu website pode ajudá-lo a utilizar o poder da mídia social para alavancar o grau de visitação ao seu site.

As pessoas desconfiam de grandes corporações, mas elas confiam de verdade em seus amigos. Pesquisas recentes mostram que o conteúdo social é atualmente o que tem mais crédito entre os consumidores, com 92% de usuários comentando que eles têm mais fé em “mídia adquirida” (conteúdo viral, recomendação de amigos, etc.) do que em qualquer outra forma de anúncio.

Leia mais:   Plano de Negócios para Implantação de uma nova empresa

Por causa disso, a criação de conteúdo viral compartilhável pode cimentar a credibilidade do seu website e incrementar a reputação do seu negócio. Isso por sua vez pode levar a um aumento de vendas, já que as pessoas estão mais dispostas a comprar de sites que evocam esse tipo de reação positiva.

Textos didáticos tradicionais sobre como melhorar a posição do nosso website no ranking dos motores de busca geralmente destacam fatores tais como costurar-se palavras-chave buscáveis através das páginas, atualizar regularmente o conteúdo, e o uso de meta-dados e atributos “alt”. Contudo, em 2013 soube-se que o compartilhamento de mídias sociais tem-se tornado o segundo fator mais importante nos rankings dos motores de busca, imediatamente após a qualidade do conteúdo. Assim, a viralidade social não influencia somente aquilo que as pessoas vêem quando conectam-se ao Facebook e ao Twitter, mas também o que aparece no Google e em outros motores de busca.

Isso é um dado importantíssimo à luz de um recente relatório do Pew Research Center, o qual concluiu que visitantes que chegam a sites de notícias encaminhados pelo Facebook eram menos valiosos do que aqueles que acessaram o site diretamente, ou via indicação de um motor de busca. Gente que visita sites de notícias diretamente, digitando o endereço da URL na janela do navegador, tipicamente permanece um tempo três vezes mais longo no site e vêem um número cinco, seis vezes maior de páginas, do que aqueles que acessam o site através do Facebook ou de um motor de busca.

Motores de busca permanecem a maneira mais comum pela qual visitantes acham websites, portanto os seus rankings continuam a ser importantes. Muita gente adiciona aos seus Favoritos as páginas encontradas, e quando retornam a elas mais tarde, as mesmas passam a ser incluídas na categoria valiosa mencionada no parágrafo anterior (clicar nos Favoritos equivale a digitar a URL manualmente).

Leia mais:   Melhorias com a Implantação do Plano de Cargos e Salários

O Pew Research Center oferece uma definição bem estrita de visitantes valiosos, a qual não funciona para todo website, nem considera os hábitos de gente jovem. Adultos jovens preferem uma navegação superficial das novidades, checando-as de tempos em tempos, em vez de consumi-las regularmente como fazem os consumidores mais velhos. Esse comportamento é indicativo dos seus hábitos gerais de navegação.

Modernos especialistas virais tais como a VICE.com não estão em busca desses visitantes valiosos definidos pelo Pew Research Center. Eles contentam-se em ser simplesmente parte da conversa. VICE e websites semelhantes não buscam necessariamente construir uma platéia leal e regular como outros órgãos tradicionais da mídia. Em vez disso, ele busca criar conteúdo compartilhável que seja “interessante para jovens que não lêem nem assistem à mídia estabelecida,” de acordo com um dos maiores admiradores do site, Rupert Murdoch.

O fato de Murdoch ter enxergado um potencial suficiente na abordagem revolucionária da VICE para comprar 5% da companhia diz muito sobre o seu fundador, Shane Smith. Com as suas tatuagens e seu amor pela música punk, Smith não se parece com a maioria dos altos executivos da web, mas a sua ousadia pode ser a chave do sucesso da VICE no moderno panorama da mídia. Mesmo reconhecendo a importância do bom conteúdo, ele diz que seduzir consumidores com o website através de uma estratégia social clara é muito mais importante.

Dizer que “eu vou fazer uma coisa tornar-se viral” é como dizer que o seu plano de negócios é acertar na loteria toda semana, ele disse em entrevista a The Telegraph. “Você precisa de uma estratégia social com o Facebook e Twitter e Reddit, e uma estratégia de ativação com uma rede como a Advice.”

A abordagem parece estar funcionando. Enquanto os órgãos da mídia mantêm o foco na disputa de seus produtos impressos, prevê-se que a VICE obterá um lucro de US$ 125 milhões sobre uma renda de um bilhão de dólares este ano.

Leia mais:   As Pequenas e Médias Empresas no Brasil e na China: Uma analise comparativa

O ciclo de vida do melhor conteúdo viral não fica limitado à sua presença online. Estórias e vídeos interessantes são muitas vezes notados por órgãos da mídia, como talk shows e noticiários da TV. Essa exposição adicional pode expandir de forma exponencial – e gratuita – o interesse pelo seu website.

Por exemplo, considere o filme no YouTube de uma guerra de bolas de neve que acabou mal, postado pela Universidade do Oregon no Reddit após uma nevasca em dezembro passado. No prazo de um dia, ele teve 300.000 acessos. Levou mais um dia para que ele alcançasse a marca de um milhão. Cinco dias depois de o clip ser publicado na Internet, ele já acumulava 4,2 milhões de acessos. Esse rápido crescimento foi auxiliado pela exibição do clip por vários telejornais em todo o planeta.

A universidade recebeu “tantas requisições de órgãos da mídia desejando o vídeo, que foi difícil dar conta de tudo.” Entretanto, um porta-voz admitiu que eles não capitalizaram o sucesso viral desse clip o quanto poderiam, já que o vídeo teve mais de dez vezes mais acessos via YouTube do que via o website da escola. Porém ele concedeu que, se houvesse no início adicionado links e contexto à descrição no YouTube, teria ganho uma maior exposição do website. Repetidos sucessos com conteúdo viral podem auxiliar uma empresa a maximizar o impacto tanto online quanto offline.

Vídeos cômicos e fotos de gatinhos são apenas uma das peças do quebra-cabeças viral. Um conteúdo compartilhável pode trazer a qualquer website uma vital injeção de novos acessos.

Marco Fernandes

ProLucro Consultoria Empresarial

Alguns vídeos que podem lhe interessar:

O que é e quanto custa um PLANO DE NEGÓCIO?
O que é e quanto custa um PLANO ESTRATÉGICO EMPRESARIAL?
O que é e quanto custa uma AVALIAÇÃO DE EMPRESA?